19.5 C
Santo André
quarta-feira, maio 29, 2024
HomeTecnologiaTelefone dobrável, tablet e muita IA: o que o Google revelou sobre...

Telefone dobrável, tablet e muita IA: o que o Google revelou sobre seus novos produtos

Telefone dobrável, tablet e muita IA: o que o Google revelou sobre seus novos produtos

O Google revelou na quarta-feira (10) sua mais recente linha de produtos de hardware, incluindo seu primeiro telefone dobrável e um novo tablet, além de planos de lançar novos recursos de inteligência artificial (IA) para seu mecanismo de busca e ferramentas de produtividade.

As atualizações foram anunciadas em sua conferência anual de desenvolvedores do Google I/O.

Elas ocorrem no momento em que a empresa está simultaneamente tentando ir além de seu principal negócio de publicidade com novos dispositivos, ao mesmo tempo em que corre para defender seu mecanismo de busca da ameaça representada por uma onda de novas tecnologias de IA.

Em um sinal de onde está o foco do Google atualmente, a empresa passou mais de 90 minutos com uma longa lista de novos recursos de IA antes de mencionar as atualizações de hardware.

O Pixel Fold

O Google Pixel Fold é a primeira incursão da empresa em telefones dobráveis. / Divulgação/Google
O Google tornou-se a mais recente empresa de tecnologia a revelar um smartphone dobrável.

Como outros dobráveis, o Pixel Fold de US$ 1799 (cerca de R$ 8,8 mil) possui uma dobradiça vertical que pode ser aberta para revelar uma tela semelhante a um tablet.

O Google chama o Fold de o dobrável mais fino do mercado.

“Foi necessário um trabalho inteligente de engenharia para redesenhar componentes como nossos alto-falantes, nossa bateria e haptics”, disse George Hwang, gerente de produto, em uma ligação antes do anúncio.

A empresa embalou um telefone Pixel em um corpo de menos de 6 mm – cerca de dois terços da espessura de seus outros telefones Pixel.

Quando é desdobrado, ele se abre em uma tela de 7,6 polegadas e se move na dobradiça de 180 graus personalizada do Google.

Esse mecanismo de dobradiça é removido totalmente da tela para melhorar sua resistência à poeira e diminuir a espessura geral do dispositivo, de acordo com a empresa.

O Google Fold inclui recursos que você encontraria em um Pixel, como longa exposição, unblur, magic eraser, que permite aos usuários remover objetos indesejados ou que distraem.

Ele também possui ferramentas específicas do Pixel Fold, como tradução ao vivo em tela dupla, que permite ao usuário se comunicar em outro idioma com a ajuda de traduções rápidas de áudio e texto na tela externa.

O Google disse que otimizou seus principais aplicativos para aproveitar a tela maior, mas “ainda há trabalho a ser feito” porque “otimizar para um novo fator de forma dobrável leva tempo”, disse Hwang.

“É um processo com o qual estamos comprometidos e requer um grande investimento com nossos parceiros desenvolvedores no Android”, acrescentou.

O Google está longe de ser o primeiro a abraçar os dobráveis, mas é possível que tenha esperado para lançar sua própria versão até que a tecnologia se tornasse mais avançada.

As primeiras versões do Samsung Galaxy Z Fold, por exemplo, apresentavam problemas com a tela e a maioria dos aplicativos não era bem otimizada para o design. Mas mesmo agora, o futuro dos dobráveis permanece incerto.

A maioria dos aplicativos ainda não é otimizada para dispositivos dobráveis, os preços continuam muito altos, e a principal rival do Google, a Apple, ainda não adotou essa opção.

Apesar do grande interesse do consumidor em telefones dobráveis – e um ressurgimento de telefones flip no estilo dos anos 1990 entre celebridades e influenciadores do TikTok – o mercado dobrável é relativamente pequeno, com a Samsung dominando a categoria, seguida por outras como Motorola, Lenovo, Oppo e Huawei.

De acordo com a ABI Research, os displays dobráveis e flexíveis representaram cerca de 0,7% do mercado de smartphones em 2021 e, em 2022, devem cair apenas 2%.

O Pixel Fold estará disponível nos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Japão. A empresa disse que o dispositivo começará a ser enviado no próximo mês.

Pixel 7a

Uma olhada na linha Pixel 7a do Google. / Divulgação/Google
Superficialmente, o 7a se parece com o Pixel 7 e 7 Pro, com a mesma barra de câmera de pixel na parte traseira.

Ele vem com os avanços típicos que você esperaria encontrar em qualquer atualização de smartphone – tela melhor, câmera avançada e bateria mais duradoura.

Mas o 7a agora possui um processador Tensor G2 e um chip de segurança TItan M2, que traz processamento avançado e novos recursos de inteligência artificial. Ele também oferece carregamento sem fio pela primeira vez em um modelo A.

A linha Pixel é conhecida há muito tempo por suas câmeras, e a 7a não é exceção. Está repleto de atualizações, incluindo uma câmera principal de 64 megapixels – o maior sensor da série até o momento, que ajudará com melhor qualidade de imagem, desempenho com pouca luz e outros recursos.

Ele também oferece uma nova câmera ultra larga de 13 megapixels para capturar fotos ainda mais amplas e uma nova câmera frontal de 13 megapixels. Pela primeira vez, cada câmera permite vídeo 4K.

O 7a também oferece suporte a muitos recursos significativos do Pixel, incluindo unblur, magic eraser e um Night Sight aprimorado que é duas vezes mais rápido e mais nítido que seu antecessor. Ele também permite que os usuários capturem longa exposição e zoom aprimorado.

O Pixel vem em várias cores, incluindo carvão, neve, mar e coral, e começa em US$ 499 (R$ 2,4 mil) na Google Store em 10 de maio, mas seu alcance é limitado.

O Google vende entre oito a 10 milhões de dispositivos Pixel a cada ano, de acordo com a ABI Research.

“Em geral, os smartphones foram feitos para o Google mostrar como o software, e agora os recursos de IA, podem ser efetivamente otimizados no hardware e melhorar a experiência do usuário do Android”, disse David McQueen, analista da ABI Research.

“O Google manteve propositadamente o volume de vendas limitado, pois também deve estar atento ao seu relacionamento com outros fabricantes de smartphones que usam o sistema operacional Android”.

Google Pixel Tablet

O tablet do Google Pixel. / Divulgação/Google
Embora os telefones tenham sido o foco principal do evento, o Google também atualizou outras partes de sua linha de hardware.

O Google apresentou o Pixel Tablet, que deve ser usado em casa, desde desligar as luzes da casa até ajustar o termostato sem sair do sofá.

O tablet, que tem bordas e cantos arredondados, vem em três cores: porcelana, avelã e rosa, e custa a partir de US$ 499 (R$ 2,4 mil).

Sob o capô, o tablet de 11 polegadas é alimentado pelos chips Tensor G2 do Google, que trazem longa duração da bateria e recursos de IA para o dispositivo.

Ele também oferece uma câmera frontal, uma câmera traseira de 8 megapixels e uma base de carregamento.

O Pixel Tablet estará disponível em 20 de junho.

Recursos de IA
O Google também está avançando com planos de trazer recursos de bate-papo de IA para seu principal mecanismo de pesquisa em meio a uma corrida armamentista renovada pela tecnologia no Vale do Silício.

A empresa disse que está apresentando a próxima evolução da Pesquisa do Google, que usará um chatbot com inteligência artificial para responder a perguntas “que você nunca pensou que a pesquisa poderia responder” e para ajudar os usuários a obter as informações que desejam mais rapidamente do que nunca.

Com a atualização, a aparência dos resultados da Pesquisa Google será visivelmente diferente.

Quando os usuários digitam uma consulta na barra de pesquisa principal, eles veem automaticamente um pop-up com uma resposta gerada por IA, além de exibir os resultados tradicionais.

Os usuários agora podem se inscrever para a nova Pesquisa do Google, que será lançada pela primeira vez nos Estados Unidos, por meio do aplicativo do Google ou do navegador de desktop Chrome.

Um número limitado de usuários terá acesso a ele nas próximas semanas, de acordo com a empresa, antes de crescer.

Bard fica melhor
O Google está expandindo o acesso ao seu chatbot Bard, que opera fora do mecanismo de busca e pode ajudar os usuários a realizar tarefas como esboçar e escrever rascunhos de redação, planejar o chá de bebê de um amigo e obter ideias para o almoço com base no que está na geladeira.

A ferramenta, que estava disponível anteriormente para os primeiros usuários por meio de uma lista de espera apenas nos EUA, em breve estará disponível para todos os usuários em 120 países e 40 idiomas.

O Google também está lançando extensões para o Bard de seus próprios serviços, como Gmail, Sheets e Docs, permitindo que os usuários façam perguntas e colaborem com o chatbot nos aplicativos que estão usando. Um novo modelo de linguagem para rivalizar com o GPT-4,

O Google também anunciou o PaLM 2, seu mais recente modelo de linguagem grande para rivalizar com o GPT-4 da OpenAI, criador do ChatGPT.

A mudança marca um grande passo para a tecnologia que alimenta os produtos de IA da empresa e promete ser melhor em lógica, raciocínio de bom senso e matemática. Também pode gerar código especializado em diferentes linguagens de programação.

MAIS LIDOS